21 de novembro de 2011

Autópsia das Palavras

O blog Autópsia das Palavras não será o teu médico patologista, mas sim a morgue onde irás fazer a necrópsia ao que escreves e ao que lês. Terás a oportunidade de pegar no teu bisturi e dissecar o teu próprio estilo literário. Quando há liberdade, o limite é a tua consciência. Boa autópsia!

"Cadáver" autópsiado por João e Gummy (Março/08)


Numa rua macadamizada por queimaduras lunares, quando a mente se abstêm de sentir, quando fecho tudo no cofre e só quero fugir de formigas inchadas de luto numa escadaria alcatifada por padrões de ervas pantanosas.
Ao olhar para dentro, o Homem percebe finalmente que a alma é a única parte que não o engana, que sente facas, espigões aguçados na planta dos pés.
Ninguém lá passou durante uns minutos. Até que o mago surgiu lá do fundo, segurando um frasco de cianeto.
Bebo ou não bebo? Fujo ou enfrento?
Ao chegar a este dilema, pergunto:
- Quanto vale uma vida?
- Dez cêntimos?
- Talvez – respondeu o grilo.
Na geladaria era tudo algazarra.
O padre, ao tentar controlar a tentação, pede só um café.
O resto da prole, lambia sorvetes como loucos, como se amanhã o mundo acabasse e todas as coisas se dissipassem, como se o prazo de validade tivesse acabado.
Então corri para o meio da estrada – um tráfego desenfreado – e gritei:
- Chega de acreditarem em algo que não vos pertence. Basta de “idolatrismos” baratos que compraram em qualquer feira. Fim ás muletas artificiais, morte às canetas rotas!
O Zé Barbeiro veio á porta excomungar os pelintras de batina branca, sempre prontos para venderem a mentira aos mais incautos, aos mais fracos.
Se eles soubessem o que eu sofri! Naquele antro de esperma artificial, fabricado por políticos, extraído de macacos, como um instinto que não consegue ser levado ao raciocínio estrambótico de um esquizofrénico fechado numa clínica de recuperação.   


Dedicatória ao meu primeiro blog e á Gummy que, comigo, embarcou nessa viagem ao desconhecido e me levou a conhecer este mundo dos blogs.

2 comentários:

Brown Eyes disse...

Ainda existe esse blog?

João disse...

Este já só existe no meu livro de recordações, Mary. Uma etapa muito interessante da minha vida. Acompanhado por alguém muito interessante também.