7 de dezembro de 2011

Fantasia Canibal


Pedes-me para rasgar a roupa
deliciando-me com tua nudez...

Empurro-te para a nossa cama,
e num beijo sinto-te ferver.

É quando a minha mão desce...
e a minha lingua acompanha,
até encontrar os teus lábios.
Agora sinto-me crescer, mas...

Calmamente, tempero o teu desejo,
amaciando a tua pele com as mãos,
brincando com a lingua...
Até o teu sabor se fundir no meu.

Nesse momento penetro… Bem fundo!
Quero sentir o teu calor por dentro.

Exerço alguma fricção,
até o suor entrar em ebulição.

E com movimentos suaves, firmes!
Vou mantendo o lume controlado,
passando a língua pelo teu corpo
para que não arda totalmente.

Só quando o calor se tornar quase insuportável,
apago este fogo com um jacto certeiro,
devorando com beijos o que resta de ti…


João Pedro

8 comentários:

Fragmentos Intemporais disse...

O sabor da paixão no seu expoente máximo!!!

Gostei da intensidade que senti (ao ler-te).

Beijo meu.

João disse...

Carinhoso vs Selvagem
Gosto do equilibrio...
Para alguém que escreve tão bem como tu, lisonjeias-me com as tuas palavras.
Ainda bem que gostaste.

Beijinho

Dois Rios disse...

Oi, João!

Eis uma descrição rebuscada, instigante e amplamente sensual para um (f)ato.

És um poeta e, como diz o verso de um compositor brasileiro chamado Renato Teixeira, tens o dom de ser capaz.

Beijo,
I

Fragmentos Intemporais disse...

Gosto de textos intensos, que pura e simplesmente manifestem quem realmente somos...

Sê rebelde
Sê diferente
Sê tu mesmo

(em qualquer situação)

João disse...

Inês, correndo o risco de me repetir, lisonjeas-me com as tuas palavras. Principalmente, porque sei que tens muito bom gosto.

Beijinho

João disse...

Fragmentos Intemporais, quem acompanha o que vou escrevendo, vai conhecendo a pessoa que sou. Porque tudo o que está aqui, nasce do que sinto e de quem sou.
Vai ficando...

Dois Rios disse...

João, querido!

Passando para conferir se há algo de novo e, também, para ler as tuas respostas que gosto tanto.

Beijo,
I.

João disse...

Vou confessar-te uma coisa, Inês. É o que gosto mais, neste mundo dos blogs. A conversa que temos, "por baixo dos textos" :D

Beijinho