13 de março de 2012

Eu quero ser... (ou simplesmente, "O líquido")

Constant - Après Nous la Liberté' (1949)

João Pedro (composição aos 7 anos)

Eu quero ser cientista para fazer muitas experiências.
Eu gosto de ser cientista porque os cientistas fazem líquidos,
depois fazem outro líquido e misturam e ao misturar, fazem outro
líquido e esse líquido ia para o lume até ferver.
É por isso que eu gosto de ser cientista, para fazer experiências.
Depois eu ia à floresta procurar substancias químicas e ia misturar
ao líquido a ferver. 
Eu vou ser cientista de certeza absoluta!
João Pedro

Tinha acabado de receber como prenda, um daqueles jogos de quimica e estava completamente maravilhado. Tão maravilhado que até queria ser cientista. E escrevi! LOL
Grande cientista que tu me saíste... hehehe

18 comentários:

Olinda disse...

e se fores homem de certezas és de ciência certa e, portanto, um verdadeiro cientista. talvez, afinal, a composição vingue. :-)

João disse...

Naquela altura, acho que tinha a certeza de tudo. Passado um tempo, passei a ter certeza de nada. Hoje, trago algumas certezas comigo. Umas surgem cá dentro, outras apanho-as pelo caminho. Mas existem outras ainda. Aquelas que gosto de manter na incerteza. :-)

Marly Bastos disse...

o bom da criança é que ela não tem incertezas, nem talvez, nem se...Eu vou ser, e pronto! E depois nem é, mas vale o sonho enquanto não vem as desilusões.
E no que o João se tornou?
Beijokas doces!

João disse...

O João? Digamos que se tornou num bom homem. Que por vezes ainda sonha como uma criança. :)

Beijo.

Brown Eyes disse...

Este sonho diluiu-se.
Beijinhos

João disse...

...diluíu-se como um líquido, que misturei a outro líquido, que ao ferver com mais alguns líquidos e voilá...

Surge o João Pedro... Presente! =D

Beijinho

LUZ disse...

Bom dia João Paulo,

Em pequenos queremos ser tantas coisas, desde bombeiros a médicos.
No seu caso, queria ser cientista.
Queria mistura líquidos, sentimentos, na tentativa da osmose perfeita.
Impossível, soube-o, alguns anos mais tarde.

Boa semana.
Saudações

João disse...

Ui, essa doeu!
Tentou adivinhar o meu segundo nome, Luz?
Bem, posso dizer-lhe que - felizmente - não é Paulo. :)

Em pequeno queria ser tanta coisa. Segundo me consta, até condutor de camião do lixo eu quis ser. Cientista, bombeiro (até um terrível incendio no norte, em que morreram alguns bombeiros carbonizados) e médico, como o meu avô paterno. Era uma criança com muita imaginação. :)

Namastê.

LUZ disse...

Boa noite João PEDRO,

As minhas desculpas, por lhe ter trocado, inexplicavelmente, para mim, o nome.
Paulo, bom, não sei.

Eu não gosto de ser gélida nas palavras, mas, por vezes, saem, espontâneamente, e só depois é que me apercebo do efeito, que elas podem causar na outra pessoa. Desculpe, de novo, por favor.
Não gosto de brincar com os AFECTOS.

Era uma criança com imaginação e, também, me parece ser um adulto, que "continua criança", no sentido mais puro, com muita imaginação.
Gosta muito de mimos e atenção, já reparei. Tudo tem, uma explicação, e essa característica sua, tem, também, uma explicação, que se relaciona, sobretudo, com o seu passado familiar.
Não sou vidente, mas estudei Psicologia, e daí, tiro, por vezes, conclusões, que até podem não estar certas.

Boa noite.
Saudações.

PS: Esteve afastado do blogue, a sua praia, uns dias. Mas, está bem? Esperava algo ou alguém, ou estava desmotivado? É óbvio, que só responderá, se achar, conveniente.

João disse...

Tenho esquecido de descer das nuvens. Isto da Primavera mexe comigo. :p
Está tudo bem. Muito bem!
O menino anda feliz e contente, é o que interessa.


Não tem que pedir desculpa, Luz. Não vamos dar mais importancia, à que realmente tem. Que é nenhuma! Acontece... :)


Tudo de bom.

LUZ disse...

Boa noite João Pedro,

Anda ainda nas nuvens?
É a Primavera, a responsável, pela falta de postagens?

Grata pelos mails e vídeos. Aquela casinha, a construída à custa dos dízimos, era óptima para mim, mas tem um grande inconveniente. Adivinhe qual é?

Saudaçoes.

João disse...

Bom dia Luz. :-)

O grande inconviniente para a Luz é o que torna esta casinha, para mim, a casa dos meus sonhos. Mesmo à beira Mar... :-D

Beijinho

LUZ disse...

Boa tarde João Pedro,

Acertou. Tem direito a um doce. Pode escolher.

Saudações.

LUZ disse...

Desculpe o regresso!

Tem dado beijinhos e atenção à Geca?

Um beijinho muito, muito sentido para ela.

João disse...

A Geca e eu somos duas partes do mesmo Ser.
Um beijinho? Até pode ser já! Ela está aqui ao meu lado. hehe =D

Um doce?
Doce de leite condensado. Pode ser?

Beijinho

LUZ disse...

Pode sim, João Pedro, mas eu não sei cozinhar nada, mesmo nada, nem gosto. Adoro passar a ferro, limpar o pó, arrumar roupeiros e gavetas e pôr as roupas por cores.
Só me falta saber tocar piano, porque falar e escrever Francês é a minha segunda Língua, para ser uma menina com todos os predicados. Adoro a cultura francesa.

Tenho de comprar um doce de leite condensado, talvez no Celeiro.

Não sofre de intolerância à lactose? É importante saber. Eu, Tenho imensas intolerâncias alimentares, desde menina, pouca coisa me agrada, me cai bem e a lactose, ou seja o açúcar do leite, é uma delas.

Que bom, que a Geca faça parte de si, do seu mundo e da sua vida. Era a gata da mãe, não era? Assim, ainda mais.
O senhor João Pedro ainda não comentou o meu último poema. Não lhe apeteceu ou não gostou. Esteja à vontade e seja franco.

Saudações.

LUZ disse...

Bom dia João Pedro,

Não teve palavras?
Estava "cá" tudo? Óptimo. Fico contente.

Saudações.

(E isto não é a correspondência de Fradique Mendes).

João disse...

As palavras que tive, deixei-as no seu blog. Tardiamente, confesso. Mas mais vale tarde, que nunca. Já dizia Fradique Mendes, o poeta fictício.

Uma óptima semana para si, Luz.