29 de março de 2012

Gasoline search








6 comentários:

Olinda disse...

onde estás?:-)

João disse...

Em todas!

É numa praia fluvial do Barreiro.

O barco que vês é o que faz a ligação Barreiro - Lisboa. E as ondas também. hehehe =D

LUZ disse...

ÚNICA


De todas as vozes
Guardo só a tua,
Um cântico.

Sobre os teus braços,
Aconchego os meus abraços
Em forma de sono.

De todos os olhos,
só vejo os teus,
E nos teus, só vejo estrelas,
Que cintilam nos meus.

De tantas caminhadas,
Umas conseguidas, outras não,
Só ouço os teus conselhos,
E deito-me nas tuas mãos.

Na loucura das idades,
Sossego e durmo em ti.
Na parede dos tempos,
Vejo-te nas lágrimas da infância,
Acariciando o meu eu valente,
Frágil, em vôos pequenos.

Das noites, à minha cabeceira,
Enganando o meu sono.
Tapando o meu frio,
Deixando o teu beijo, de verdade,
Recordo-o e guardo-o,
Para toda a eternidade.

Minha e tua, nossa,
Sagrada e sublime entranha
Que fez de mim cravo a valer
Do teu jardim, do teu pedaço,
Deixando em mim a marca
Imutável de qualquer ser.

Tu, minha Mãe, minha guardiã,
Minha musa, meu único valor,
MEU AMOR!


Luz

João disse...

Ao estilo facebookiano, clicaria no "Gosto".

LUZ disse...

Bom dia João Pedro,


PRECISA-SE TERNURA.

A água afoga as mágoas.

Saudações.

João disse...

Precisa-se... Muita! Que cada vez rareia mais.