16 de janeiro de 2012

Amei Demais

Joaquim Maria Pessoa (Barreiro, 22 de fevereiro de 1948), conhecido por Joaquim Pessoa, é um poeta, artista plástico, publicitário e estudioso de arte pré-histórica português.
Frans Wesselman


Madruguei demais. Fumei demais. Foram demais
todas as coisas que na vida eu emprenhei.
Vejo-as agora grávidas. Redondas. Coisas tais,
como as tais coisas nas quais nunca pensei.

Demais foram as sombras. Mais e mais.
Cada vez mais ardentes as sombras que tirei
do imenso mar de sol, sem praia ou cais,
de onde parti sem saber por que embarquei.

Amei demais. Sempre demais. E o que dei
está espalhado pelos sítios onde vais
e pelos anos longos, longos, que passei

à procura de ti. De mim. De ninguém mais.
E os milhares de versos que rasguei
antes de ti, eram perfeitos. Mas banais.

Joaquim Pessoa, in 'Ano Comum'

11 comentários:

Olinda disse...

que delícia isso de emprenhar vida, adentro, fora. :-)

B* disse...

Cada vez me convenço mais.. que
AMEI de mais.

E mais uma vez: Amo demais!

João disse...

Tão ou mais delicioso, emprenhar vida de fora para dentro. E vice-versa :-)

João disse...

B*, somos o que somos. Para mim, o importante é aceitar a verdadeira essencia, sem máscaras ou personagens. Porque assim, damos vida ao nosso amor próprio. E não há enganos.
Depois... Depois há quem goste, há quem não goste. Mas desta forma, seguimos o nosso caminho, de consciência tranquila.
O texto que colocaste no teu blog, é perfeito para traçar um caminho...

Miss (im)Perfect disse...

Talvez a solução seja não amar de todo...

João disse...

Na minha opinião, se existe sentimento que não é possível controlar, esse sentimento é o amor, Miss (im)Perfect.

Miss (im)Perfect disse...

o que é que é possível de controlar? quase nada. Mas podes fazer um esforço.

João disse...

Podes fazer um esforço em tudo, sim. Há sempre algo que depende de nós. Um texto interessante e relacionado, de alguma forma, com isso, é o que tenho do lado direito do blog, "Seja Feliz", do Fernando Pessoa. Por falar em Pessoa, ainda ontem deitei-me a ler um texto dele, assinado como Álvaro de campos, "Tabacaria". Epá, magnifico! Admiro mesmo a forma como se exprime nas palavras.

Miss (im)Perfect disse...

Já conhecia. É o meu favorito, só assim por acaso. e se só o leste agora, tens que ler tudo de FP. É o mestre. E a rainha - Florbela Espanca. força.

Dois Rios disse...

Lindo isso, João!

Acho que a vida, para deixar as marcas do seu acontecer na memória do nosso viver, tem mesmo que vazar amor.

Beijos meus,
I.

João disse...

É o amor que lubrifica as dobradiças da felicidade, Inês. Qualquer que seja a forma como este se manifesta... Seja o amor que tenho pela minha gata, pelo surf, pela minha namorada ou por mim... É tão fundamental para o espirito, como o ar é para o fisico.

Beijinho